segunda-feira, 4 de abril de 2011

Qual é a sua moda? (Auto) Reflexão


Sim, cada pessoa tem uma “moda” própria. Seja um jeito de amarrar o cabelo, a forma como organiza sua agenda, a frequencia que abre uma brecha na dieta e vai à pizzaria, enfim, cada um tem uma forma de vida diferente do vizinho, marido/esposa e é isso que faz existir o que chamamos de individualidade!

E é esta individualidade que faz você quem você é: tímido, extrovertido, triste, alegre, otimista, elegante, sincero. Sim, estou falando sobre moda.... E essas pequenas diferenças, que de pequenas não têm nada, são o que tornam a pessoa única. E cada vez mais essas diferenças são destacadas, aprimoradas, sentidas, observadas e analisadas. Porque olhando bem nem todo mundo é calça jeans e t-shirt branca, ou nem todo mundo é bolsa Birkin. Olhando bem cada um é um corpo que fala uma língua própria, independente e única. Será mesmo? Será que há toda esta individualidade? O tempo todo ela é colocada à prova a cada novo lançamento, a cada nova estação, a cada novo editorial. Acabamos sendo mais do mesmo. E a individualidade se perdeu no meio do caminho.


Ainda sobre moda... E que caminho foi esse? De um dia para o outro todos estávamos uniformizados de jeans + t-shirt branca ou com uma Birkin? Este caminho vem sendo construído não é de hoje, nem da década passada, sequer do século passado. Vem lá do século XVIII, onde, guardadas as devidas proporções, as pessoas já ansiavam por uniformização, padronagens - só que a moda de antes era bem mais duradoura do que a de hoje. O paradoxo é que ninguém gosta de ir à festa e encontrar uma pessoa com a mesma roupa que a sua, mas se você perceber bem - estamos todos iguais, não é mesmo?


O que torna o seu look diferente do look da garota da mesa ao lado, que, por sua vez, é diferente do visual que saiu na última edição da revista de moda mais badalada?


Somos seres em busca de uma individualidade mitigada e corrompida por nós mesmos. Não admitimos estar fora do padrão. Você sair por aí com a moda do último verão já faz de você uma pessoa completamente out, completamente fora dos padrões? Que democracia no mundo da moda é essa? De repente todos temos o mesmo estilo e a mesma vontade de usar e de ter a peça da vez. Os pinguins seriam mais originais que nós! Seria esta a democracia? Simplesmente querer ser igual.


Há quem diga que moda é o novo e há quem defenda que moda é o que permanece. Diríamos, então, que há uma linha tênue aí entre o que é novo e o que permanece, pois a moda anda viajando por mundos antigos e trazendo de volta o que passou. Seria novo ou apenas permaneceu? A moda é cíclica e cada vez gira mais rápido e neste giro a gente não sente, não aprecia, não aproveita o que ela nos dá a cada estação porque temos que voar junto com ela e nos adaptarmos. Se ontem usávamos todos um short detonado, hoje estamos usando as saias longas e amanhã, provavelmente, alguma novidade, ou não tão novidade assim. E neste contexto de rapidez e insanidade vamos perdendo o nosso estilo. E o que era para ser individualizado se torna generalizado e acabamos nos misturando na multidão. Por que precisamos de avais, de aprovação? E por que falar do que todos estão falando?


Você já parou e refletiu se você faz a sua moda ou se a moda é que faz você ser esta pessoa, tão igual, ou não, a todo mundo?







Love

11 comentários:

Amanda disse...

Ótimo post Carol!!
Realmente este negocio de moda é um caso serio,eu nem ligo muito para seguir a ultima tendência do momento,para mim o que conta é estar bem dentro daquilo que eu gosto.Mesmo porque quem se preocupa em seguir o grito da moda acaba perdendo sua essencia,pois a moda muda de um dia para o outro.
Bjos amiga!!

Ana Paula disse...

Pra falar a verdade perdi minha identidade quando comecei a frequentar o mundo dos blogs, é muita informação!!! Mas consegui colocar minha cabeça no lugar e voltei a ter a minha personalidade fashion, ufaaa. Ótimo post.

Betty Gaeta disse...

Oi Carolina,
Eu acho que a função da moda é marcar uma época, e as pessoas ficam muito parecidas em determinada época.
Me lembro de minha mãe me dizendo que ela era muito linda qdo jovem, e eu olhava as fotos dela e não achava, pois os cabelos estava presos e encrespados à maneira da época, o batom era escuro demais. Eu achava minha mãe linda, mas não nas fotos que ela me mostrava. Então concluí que a moda nos faz feliz por envelhecer, pois por melhor que fossemos a 10 anos atras, a moda mudou tanto que parecemos melhor agora, do que nas fotos antigas e acho isto ótimo!
Bjkas e uma semana maravilhosa para vc.

www.gosto-disto.com

Expresso Moda disse...

Post incrível!Ana Carolina!Adorei!
Eu sou adepto da t-shirt branca e jeans...gosto do "clássico",o conceitual,o "moderno" têm que ser muito bons,têm que me surpreender em criatividade...

bjs e ótima semana!

tchan tchan tchan tchannnn disse...

Oi, Carol!
Acho que o teu post dá pra virar livro de tanta coisa que dá para se falar sobre isso! parece que somos eternas adolescentes, querendo estar meio parecidas com as amigas, para fazer da roupa uma identidade de grupo, né?
ao mesmo tempo, adoramos quando temos alguma coisa exclusiva...Rs...já vi algumas amigas felizes por dizerem "eram peças únicas, não tem mais", referindo-se a alguma roupa que comprou e nós, amigas, gostamos...Rs.
E a frase "saiba o que você vai querer usar no próximo verão"...Já antecipando que todo mundo vai ter uma peça xadrez, ou vermelha, ou uva...Rs.
É engraçado, mas é uma ditadura, também! O que fazer?

Tati Canto disse...

Oi Carol, ótimo texto! É preciso refletir...
Bjs, Tati
http://loveshoesblog.wordpress.com
@loveshoesblog

Patrícia disse...

oi, adorei o blog!!! vou te seguir!!! passa la no meu e deixa um comentario!!!

beijos!!!

NatiLopes disse...

muito bom o texto Ana!!
Eu acho que existem muitas pessoas por aí que vivem da moda MESMO, que usamo que está na moda só para ser IN. Mas eu acredito que, mesmo seguindo tendencias, dá para manter sua individualidade sim!
É o que eu sempre falo lá no blog; o bacana é você usar a tendência que gosta, se sente bem usando, e agrega-la ao seu estilo de vida, ao seu dia a dia.
Porque não tem como copiar o estilo ou o look de outras pessoas, se a atitude que temos não é a mesma.

beijossss

Kellen Turci disse...

ótimo post Carol!
Eu adoro a moda, mas não me considero uma fashion victim. Me visto de acordo com o que combina com o meu estilo e com o meu biotipo.
Gosto de peças clássicas, como camisas brancas!!
Beijos

Arq.Auriele disse...

A minha moda sou eu quem faço, nao me visto de acordo com as tendências e sim as utilizo em meu favor, nao sou escrava do que se está usando... gostei, uso , nao gostei nao uso,...

Julia disse...

Estilo próprio é tudo. Nada mais sem graça do que ver pessoas vestidas em série... Eu só uso o que eu gosto, não adianta nada o lance ser tendência e não ter a minha cara...
adorei o post
beijos
LUV!