domingo, 20 de março de 2011

A linda It Girl Ale Garattoni


Ale Garattoni criou o ItGirls e nele, entre moda, beleza, comportamento e viagens falava também sobre as it girls mundo à fora, seus hábitos, looks, peças favoritas, lugares frequentados entre outras curiosidades que o mundo fashion clama em saber!!!

Ale deixou o blog para trás, mas dele surgiu o livro ItGirls, tendo como recheio os melhores posts!

Administradora de formação, mas jornalista de moda por paixão é editora de texto da revista RG Vogue - Alessandra é carioca, mas mora atualmente em São Paulo. Para saber mais clique aqui.

Houve um pré-lançamento do livro no final do ano passado e agora Ale começa um booktour. Dia 17 último foi a vez do Rio de Janeiro ser presenteado!

Ale Garattoni está entre os nomes mais badalados quando se fala em blogs conceituados e referenciais de Moda. Não teve uma blogueira que não bebeu na fonte do ItGirls e se deliciou com cada post?!

O blog foi tão sucesso que mesmo depois de ter chegado ao fim, continuou sendo assunto em várias rodinhas de blogueiros órfãos. Mas agora não tem mais o que chorar, você pode ter um exemplar do ItGirls para chamar de seu!


Eu fui ao lançamento na Livraria da Travessa em Ipanema e fiz algumas fotos e, mesmo que rápido, pude perceber que Ale Garattoni é uma pessoa especial e cheia de boas energias!




Muitas pessoas compareceram e de todas as idades - ratificando o sucesso do blog e do livro!



Ale aceitou responder algumas perguntinhas para o ModaEstilo para minha, sua, nossa felicidade!





A idéia de passar o itgirls.com para o papel surgiu antes ou depois de ter dado fim ao site?


Sempre tive muita, muita, muita vontade de publicar um livro. Quando resolvi encerrar o ItGirls (por vários motivos, principalmente por achar que ele tinha cumprido seu ciclo completo), decidi focar minha energia nessa vontade. Cerca de um mês depois fui procurada pela editora e apresentei uma lista de sugestões para meu primeiro livro. Um dos projetos era reunir os melhores posts e começar por aí foi, na verdade, uma decisão conjunta (minha e da editora). Mas o fim do blog não tem, na verdade, uma ligação direta com o projeto livro!


Você escreveu vários posts no itgirls.com, como foi feita a seleção, qual o critério utilizado para ir para o livro?


Foi fácil, pois muitos dos posts falavam de temas do momento, de tendências e de assuntos com prazo de validade. A seleção levava em conta apenas o que era atemporal, então a primeira peneirada já excluiu a maior parte do que fora publicado no blog.


Houve o pré-lançamento em dezembro. Muitas pessoas já adquiriram o livro, você tem tido o feedback desses leitores, o que eles têm achado do It em folhas de papel?


O feedback tem sido muito positivo! E o mais bacana é que quase todo mundo pede já por um segundo livro.


Num tempo em que ipads são os novos queridinhos eletrônicos do momento, como você vê este contra fluxo do itgirls.com sair das telas de um computador para o papel?


Exatamente assim, no contra fluxo! Mas por mais que eu seja viciada em Internet, por mais que eu goste de iPad, eu ainda sou "old style" nesse sentido, acho que livros e revistas em papel são insubstituíveis!


E o site? Conte como foi este processo - início - meio - fim?


Sou muito inquieta, mudo de opinião e de desejos o tempo todo. O It foi super importante pra mim, mas, de uma hora pra outra, deixei de me identificar com aquela plataforma. E, como eu disse acima, acho que o blog cumpriu seu ciclo completo – tudo tem seu fim, não?!


Como o próprio nome já indicava, você escrevia sobre as it girls mundo à fora, o que lhe levou a escrever sobre essas mulheres?


Eu gostava de ler e observar esse universo, pressentia que as it girls teriam um espaço cada vez maior. Mas foi tudo muito despretensioso, apenas escolhi um tema que eu gostava para o blog, que, na minha opinião, jamais seria algo mais que um hobby pessoal.

E de todas elas, aponte uma que consegue unir tendência e estilo sem ficar over e sem perder sua personalidade?


Acho que as it girls (as verdadeiras it girls!), de um modo geral, têm essa coerência, têm essa naturalidade. Não importa o que usem, é uma escolha que tem a ver com suas personalidades, com seus gostos. Pra citar apenas uma, adoro a blogueira Hanneli Mustaparta!



Foi-se o tempo, se é que houve esse tempo, em que para ser uma it girl precisasse ostentar marcas e grifes famosas, com a globalização e com esta aparente democratização da moda, hoje uma it girls precisa de quê para levar o título?


Eu acho, sinceramente, que uma it girl é, sempre foi e sempre será a menina que tem um carisma acima da média. Apenas isso!


Queria que você falasse se há mesmo esta democratização da moda. Se ela é real ou aparente, e se as pessoas querem mesmo se endividar (quem não tem recursos) para ter uma assinatura no armário?


Claro que sempre existiu e sempre vai existir quem se endivide para ter determinadas coisas (e não só peças de moda!). Mas aí é uma questão comportamental, psicológica, acima de moda ou qualquer outra área específica... A democratização da moda é outro assunto e é bem claro que, com a internet e o crescimento das fast fashion no mundo todo, ela se tornou algo real!


Agora fale de você. Curiosidades. Qual o estilo que predomina em você?


Acho que passeio entre o básico e o clássico! Não costumo comprar nada que tenha prazo de validade, caso das tendências mais fortes, daquelas modinhas passageiras. Sou fã de clássicos eternos!


Você viaja muito, o que não pode faltar na sua mala de viagem, seja o destino frio ou calor?


Que difícil! Se a variação de temperatura é muito grande a seleção de roupas e sapatos muda completamente, né?! Então vou citar 2 produtos de beauté, que são mais adaptáveis nesse sentido: água termal e o sérum Génifique, que hidrata no frio e não deixa a pele oleosa nem mesmo quando o clima está super quente.


Você é carioca e se mudou para São Paulo tem uns anos. Sabemos que o estilo paulista de se vestir é bem diferente do estilo carioca. Como você viu em você esta mudança, sentiu necessidade de se adequar? Houve mudança no guardarroupa?


Meu armário mudou 100%! Não restou nada (ou quase nada) dos meus tempos de carioca, posso dizer que meu estilo mudou radicalmente (até porque meu estilo de vida mudou muito... quem me conhece hoje nem acredita, mas a verdade é que eu era rata de praia e vivia SUPER bronzeada até 5 anos atrás!).


Você é editora de texto de uma revista de moda em São Paulo. Editora de um segmento numa revista de moda a gente pensa logo em Anna Wintor, Emanuelle Alt, Anna Dello Russo, enfim, e em São Paulo, que é uma cidade glamourosa por si só. Em todo esse contexto glamouroso, queria saber como você encara um dia-a-dia de trabalho? Tem que manter a pose de mulher da moda e “subir no salto”, ou seja, sustentar a it girl glamourosa ou você veste o uniforme de it girl da vida real?


Personagens são criados pela imaginação coletiva, acho que eles não existem na verdade! Nem Anna Wintour é Anna Wintour 24 horas por dia! Acho que uma pessoa se arruma para ir ao trabalho no limite de sua própria vaidade, eu faria (na medida do possível) as mesmas escolhas trabalhando em uma revista, em um banco ou um escritório!


É uma fashion victim? Nem tudo que é moda é o seu estilo. Procura adequá-lo ao seu estilo ou simplesmente não adota?


De forma alguma! Como eu disse acima, é muito difícil (quase impossível) eu gastar em uma peça-tendência com prazo de validade.


Qual peça ou look você usa e não se importa de não ser mais tendência?


Sem querer parecer clichê, mas eu realmente não sou de ficar muito atenta a tendências. Elas me influenciam apenas no sentido de estarem nas vitrines e revistas, ao alcance dos meus olhos, e, por isso, despertarem meu desejo. Mas não existe na minha vida esse espaço de me guiar pelo que é – ou não é mais – tendência.


Diga uma peça ou look que você se sente confortável e seja a sua cara?


Adoro camisas, sempre adorei! Acho que é uma elegância sem esforço.


As blogueiras de moda estão começando cada vez mais cedo, prova disso que elas foram parar na novela ti ti ti, qual conselho, dica, informação que você deixa para essas meninas?


O grande sentido de fazer e manter um blog é agradar ao seu próprio gosto, é ter prazer pessoal. Então, não se preocupem com regras de sucesso (elas não existem!), com audiência, com opiniões alheias... façam o blog pra vocês – o resto é consequência!

Gente posso falar que estou amando o livro, cada página, cada capítulo, cada dica. É muito mais do que um aprendizado sobre moda. Tem muito alerta importante para vida também! Vale muito você adquirir o seu!




Para quem é de Natal, Vitória, Salvador e Brasília fiquem atentos aos horários!


Natal (RN) – 26.03, às 15h30 no Hotel Vila do Mar Vitória (ES) – 29.03, às 20h na La Bassetti Salvador (BA) – 12.04, às 20h na Multimarcas Poire Paradoxus Brasília (DF) – 5.05 E uma última foto e consideração sobre a ItGirls Ale Garattoni!


Ale autografando meu livro. E, em destaque, a H2O mais it que já bebi!!! E todos ficamos encantados com a garrafinha!


E quem conhece a Ale sabe o que é uma ItGirl e ninguém melhor do que ela para ter um blog com o mesmo título e depois um livro!


Na minha cidade (Belém) a gente costuma usar a expressão "tem berço", "Fulano tem berço", mas não berço de ouro (dinheiro) e sim porque tem educação, generosidade, simplicidade e sorriso no rosto e esses valores são carregados conosco para sempre. E acredito que são esses valores que fazem uma ItGirl, como bem afirma Ale aqui na entrevista e no livro. Diz aí, tem alguém mais it do que esta garota?! Eu não conheço!

Love



11 comentários:

Lu Peral disse...

Carol, ameeei o post. A entrevista nos trouxe mais certeza de que Ale é uma verdadeira It Girl. Parabéns!!

Beijinhos

Lu Peral disse...

Carol, ameeei o post. A entrevista nos trouxe mais certeza de que Ale é uma verdadeira It Girl. Parabéns!!

Beijinhos

Expresso Moda disse...

Legal,fazer um livro com os posts do blog...menina inteligente,criativa...amei!


bjs,Ana Carolina e ótima semana!

Beka disse...

Carol,
A noite de autógrafos foi realmente muito boa! A Ale é realmente a definição de uma It Girl e essa entrevista, como disse a Lu Peral, só acrescentou mais certeza disso!
A garrafinha era fofa, né? A minha fica na cabeceira. O livro também está lá, esperando eu terminar outro que já está no final.
Adorei o post!
E obrigado por nos visitar lá no Meninas Versáteis! :)
Bjs,
Beka.

Ana Paula disse...

Nossa! acredita que já pensei nisso, num livro com os posts do blog rsrssrs. Ai que coisa.

Tati Canto disse...

Oi querida! Adorei te encontrar hj!
A entrevista ficou o máximo, tb já adquiri meu exemplar e devorei rapidinho, muito legal!
Bjs, Tati
http://loveshoesblog.wordpress.com/
@loveshoesblog

Mariana disse...

Oi Carol!
Seu post ficou muito legal! Adorei a entrevista, uma excelente idéia!
Também adoramos o lançamento e a garrafinha!
Obrigada pela visitinha ao blog das meninasversateis.blogspot.com
Beijokas

Desi disse...

ótimas perguntas, Carol, vai virar repórter de moda, vai!

beijinhos

Carolina - ModaEstilo disse...

Meninas versáteis vcs são um amor. Obrigada pela visita Mari, beka e Lu!!!
Ana e Paulo quem gosta de escrever, independente de ter um blog, sempre pensa em escrever um livro um dia, não?
tati, sua linda amei te ver tb ontem!
Desi quem sabe, não? rs
Bjs

Amanda disse...

Pra começar antes de tudo menina vc manda muiiiiiito bem em entrevistas!
E prra mim Ale Garattoni
disse tudo aqui:
"O grande sentido de fazer e manter um blog é agradar ao seu próprio gosto, é ter prazer pessoal. Então, não se preocupem com regras de sucesso (elas não existem!), com audiência, com opiniões alheias... façam o blog pra vocês – o resto é consequência!"
Tá ai um exemplo de sucesso e simplicidade como a Ale!
Acho que esta faltando muito isso neste mundo de bloqueirinhas que se julgam "famosinhas" e deslumbram fácil.
Sucesso pra Ale e parabéns Carol pelo post!
Bjos querida!

Bia Galvão disse...

Carol, amiga amei o post, tá de parabéns, pela entrevista, perguntas e tb conhcer mais ainda a Ale. Já quero o livro ainda não comprei!!
Realmente vc tb é IT!!!